Julgamento do nosso corrupto pelo Portugal terá reflexos nas exportações portuguesas

Uma ação judicial contra Manuel Vicente irá deixar “uma ferida política” e afetará de forma profunda as relações entre Portugal e Angola, diz fonte do Governo angolano próxima do processo da Operação Fizz

O julgamento do ex-vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, dentro ou fora do âmbito da chamada Operação Fizz desencadeada pela Justiça portuguesa, irá trazer consequências para as exportações portuguesas, garante fonte próxima do Governo angolano, em declarações ao “Jornal de Negócios” esta terça-feira.

Esta ação judicial irá deixar “uma ferida política” e afetará de forma profunda as relações entre os dois países, alerta a mesma fonte.

No entender do Governo angolano, ao recusar o pedido de transferência do processo de Manuel Vicente para aquele país, Portugal não está a respeitar os acordos bilaterais e multilaterais assinados no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Como resposta a esta “ofensa”, Angola deverá reduzir substantivamente as suas importações de origem portuguesa – em 2016, Angola foi o oitavo destino das exportações nacionais, rendendo mais de mil milhões de euros.

Segundo o matutino, a estratégia do Governo liderado por João Lourenço passará por privilegiar outros países como parceiros comerciais, como Espanha e Itália.

O início do julgamento da Operação Fizz está marcada para a próxima segunda-feira, dia 22 de janeiro, no Tribunal Judicial de Lisboa. Manuel Vicente é acusado pelo Ministério Público de ter pago 760 mil euros a Orlando Figueira, quando este era procurador do Ministério Público no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), para obter decisões favoráveis.

Expresso

Rate this item
(1 Vote)
Last modified on Segunda, 22 Janeiro 2018 23:25
Gazeta Uigense

João Lutonadio da Bragança

Jornalista e Redator do Diário regional Gazeta Uigense 

gazetauigense@gmail.com

.
.
.