Jonas Savimbi: Imediações de cemitério de Lopitanga estão a ser desminadas e estradas arranjadas

Jonas Savimbi: Imediações de cemitério de Lopitanga estão a ser desminadas e estradas arranjadas

O futuro túmulo de Jonas Savimbi, fundador e líder histórico da UNITA, no cemitério de Lopitanga, no Andulo, província do Bié, já está a ser construído para que a transladação dos seus restos mortais, depositados no Luena, Moxico, desde que foi morto em combate em 2002, tenha lugar a 06 de Abril.

A par da construção do local onde vão ficar depositados em definitivo os restos mortais de Savimbi, estão a ser realizadas obras de requalificação das estradas que dão acesso às localidades de Chilesso e Lopitanga, porque se prevê uma grande afluência de pessoas para as cerimónias fúnebres, e as imediações do cemitério estão a ser passadas a pente fino por equipas de desminagem de forma a evitar acidentes com engenhos explosivos que possam ter permanecido no local desde o fim do conflito armado.

O actual município do Andulo, e as localidades de Lopitanga e Chilesso, foram duramente durante fustigadas durante o conflito armado, especialmente durante o chamado cerco à cidade do Kuito pelas tropas da UNITA, após as eleições de 1992, tendo a região sido fortemente minada na altura.

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, visitou há poucos dias o local que está a ser preparado para acolher as cerimónias fúnebres do líder fundador do partido, na aldeia de Lopitanga em cujo cemitério repousam os restos mortais dos antepassados de Jonas Malheiro Savimbi.

A comissão nacional executiva encarregue de preparar os actos do partido para a homenagem ao seu líder fundador esteve reunida, na segunda-feira, sob orientação do deputado Victorino Nhany e serviu para os responsáveis de diferentes subcomissões fazerem o ponto da situação sobre o andamento dos preparativos da transladação dos restos mortais do histórico líder do "Galo Negro".

Na ocasião, Victorino Nhany, que se regozijou com os passos já dados, encorajou os presentes a tudo fazerem no sentido de estarem criadas as condições necessárias para um enterro condigno de Jonas Malheiro Savimbi na terra dos seus ancestrais.

Recorde-se que os restos mortais de Savimbi, sepultados no cemitério de Luena, capital do Moxico, foram exumados no passado dia 01 de Fevereiro.

O procedimento de colheita das amostras foram feitas por peritos da faculdade de medicina da Universidade Agostinho Neto em conjunto com técnicos forenses da área criminalista do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Os exames deverão ser feitos em laboratórios nacionais, sul-africanos e portugueses, com as amostras de cálcio retiradas dos ossos de Savimbi e comparados com dados da identidade biológica de três filhos (Rafael Massanga Savimbi, Durão Savimbi e Kanganjo Savimbi) e da irmã mais velha do malogrado, Judith Savimbi Pena.

Ao total, o processo de exame deverá levar cerca de 25 dias, seguindo depois para acertos das cerimónias fúnebres previstas para o dia 6 de Abril, na comuna de Lopitanga, no município do Andulo, que é a localidade que em vida manifestou ser sua vontade que ali fosse sepultado junto à tumba dos seus pais.

A cerimónia de transladação dos restos mortais de Savimbi não vai decorrer com honras de Estado, como o NJ noticiou. Mas isso não vai impedir que, como a direcção da UNITA espera, muitos milhares de angolanos se desloquem ao município do Andulo nesse dia. NJ

Rate this item
(0 votes)
.
.
.