CASA-CE recorre à polícia para recuperar meios na posse dos independentes

CASA-CE recorre à polícia para recuperar meios na posse dos independentes

O novo secretário provincial executivo da CASA- CE em Benguela, Zeferino Cuvíngua, informou que a sua direção já acionou o Comando Provincial da Polícia Nacional para ajudar na recuperação dos meios que diz serem pertença da coligação e que, até ao momento, se encontram na posse do antigo dirigente independente, Francisco Viena.

Recorde-se que Francisco Viena chegou a dizer no seu acto de abandono do cargo que tinha devolvido à coligação tudo que estava na sua posse. No entanto, segundo Cuvíngua, o ex-secretário tem de devolver três viaturas à terceira maior força política em Angola.

Sobre Viena pesam ainda outras acusações, como não ter alegadamente honrado os compromissos contratuais de arrendamento de residências onde funcionam os secretariados municipais do Lobito, Ganda e Chongoroi, que resultou em nove meses de atraso de pagamento. Em resposta a esta acusação, o antigo secretário afirmou em conferência de imprensa, na altura do anúncio da sua retirada da coligação, que a direção central apenas disponibilizava, trimestralmente, 800 mil kwanzas (2.243 euros) para uma província com vários desafios como a de Benguela.

Francisco Viena, que disse que iria dedicar-se à vida empresarial, revelou que parte do mobiliário de que a CASA-CE dispunha era dele. Quanto às viaturas, dizia que eram oferta do antigo vice-presidente da coligação, o jornalista William Tonet, e que iria devolvê-las o mais rapidamente possível.

“Uma (viatura) anda comigo e a outra com o secretário para propaganda. É tudo oferta de um grande amigo, William Tonet. Este mobiliário aqui é nosso enquanto advogados”, esclareceu na altura, acrescentando que “recebíamos 800 mil kwanzas de três em três meses para fazer política’’.

Cuvíngua contradiz agora o que foi dito, ao advertir que a oferta não era pessoal, mas sim institucional. “Quem comprou os carros foi a CASA-CE, não são as individualidades. E até o argumento que coloca de que ele teve promessas e alguns presidentes de partidos não lhe pagaram, é preciso saber que o património que ele está a reter não é dos presidentes”, alerta, confirmando que, neste momento, decorre o processo de despejo dos secretariados municipais por alegadas dívidas contraídas pela anterior gestão da CASA-CE.  e-Global

Rate this item
(0 votes)
.
.
.