Gazeta Uigense
Gazeta Uigense

Gazeta Uigense

João Lutonadio da Bragança

Jornalista e Redator do Diário regional Gazeta Uigense 

gazetauigense@gmail.com

Os principais produtos que compõem a cesta básica, como açúcar, arroz, óleo, massa alimentar e outros registam, nos últimos dias, uma acentuada subida de preços, nos principais armazéns e mercados formais e informais na cidade do Uíge.

O governo de Angola admitiu a participação de capital privado na transportadora aérea TAAG – Linhas Aéreas de Angola devido às atuais dificuldades financeiras, disse o presidente da Comissão Executiva da companhia.

Cinquenta e cinco novos autocarros da empresa Macon (serviços de transporte rodoviário de passageiros) entram em circulação nesta sexta-feira, para reforçar as rotas inter-provinciais.

O presidente francês Emmanuel Macron conheceu Félix Tshisekedi quarta-feira entre as diferentes equipes, em Nairobi, em um jantar informal, não previsto inicialmente na agenda, organizada pelo presidente queniano, Uhuru Kenyatta.

Atrasos salariais, assédio moral e sexual e desrespeito por parte dos empregadores são algumas das reclamações das trabalhadoras domésticas.

A Polícia Nacional anunciou, nesta quarta-feira, que vai responsabilizar civil e criminalmente o agente acusado de alvejar mortalmente uma vendedora ambulante de 28 anos de idade, na última terça-feira, na zona do Rocha Pinto, em Luanda.

Reactivação da actividade de exploração no Iraque evitou o pagamento de multas no montante de 250 milhões de USD.

Um homem de 52 anos morreu, na noite de Quarta-feira, depois de ser sido baleado a queima-roupa, no Luanda Sul, município de Viana, em Luanda, quando assistia a partida de futebol entre o Barcelona de Espanha e Lyon de França a contar para Liga dos Campeões da Europa.

O Presidente da República, João Lourenço, declarou hoje (quinta-feira) haver condições para accionar os mecanismos, no sentido de reaver o património e activos surripiados ao Estado, avaliados em cerca cinco mil milhões de dólares americanos, em benefício de uma "elite muito restrita".

Em Portugal, a maior parte dos novos pedidos de asilo foram apresentados por nacionais de Angola (18%, 225), seguindo-se a Ucrânia (11%, 135) e a República Democrática do Congo (10%, 130).