Gazeta Uigense - Tecnologia

Angola usará satélites de observação franceses, nos termos de um acordo recentemente assinado entre os governos angolano e francês, anunciou, esta sexta-feira, em Paris, o ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Augusto.

A empresa de telecomunicações Angola Cables inaugurou um Data Center na cidade de Fortaleza aumentando a capacidade de transmissão internacional de dados de cabos de fibra ótica no Brasil.

A ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação de Angola assumiu hoje que o país tem "uma grande debilidade" de formação nas áreas de engenheira e tecnologias, apontando um "excedente de quadros subaproveitados" no domínio da informática.

O Angosat-2 está actualmente a ser construído em França, devendo estar em órbita em 2021. O Ministro das Telecomunicações e Tecnologia de Informação, José Carvalho da Rocha, disse, em entrevista ao Jornal de Angola, que, além deste satélite, o país terá outros, em diversas áreas do conhecimento. Relativamente ao paradeiro do Angosat-1, reafirmou que continua em órbita, mas sem transmitir sinal algum. Esclareceu que, em razão das necessidades do país em comunicação, a Rússia disponibilizou um mini satélite. O governante abordou ainda a privatização da Angola Telecom, sobre a qual garantiu que vai acontecer este ano, sem, contudo, avançar datas, nem futuros accionistas.

O Secretario de Estado das Telecomunicações, Mário Augusto da Silva Oliveira, realçou que com o CANSAT Angolano será possível vivenciar aspectos da versão espacial real como seleccionar a missão, projectar, integrar os componentes, programar computador de bordo, testar e analisar os dados de termometria.

Um pequeno satélite em miniatura, denominado CANSAT angolano, integrado no volume e na forma de um refrigerante de 330 mililitros, foi apresentado hoje, quarta-feira, em Luanda, pelo secretário de Estado das Telecomunicações, Mário Augusto da Silva Oliveira.

O Instituto Angolano das Comunicações (INACOM) está a desenvolver estudos para implementar o serviço de roaming doméstico no serviço de telefonia móvel, informou hoje o órgão regulador do setor, sem, contudo, avançar prazos.

Angola já beneficia de um terço da capacidade do Angosat1 desde 6 de Abril deste ano, no âmbito das compensações da cláusula estabelecidas com a parte russa.

Página 1 de 3