×

Atenção

Erro ao carregar arquivo XML

Gazeta Uigense

Gazeta Uigense

João Lutonadio da Bragança

Jornalista e Redator do Diário regional Gazeta Uigense 

gazetauigense@gmail.com

O ministro das Finanças de Angola admitiu hoje estar a estudar o fim da indexação do kwanza ao dólar, mas acompanhando de perto a variação da moeda para garantir que não vai flutuar de forma descontrolada.

O Governo angolano está a preparar legislação para repatriar capitais de angolanos no estrangeiro. O executivo acredita que existam novidades ainda durante o mês de janeiro.

A ausência do antigo Presidente angolano e actual presidente do MPLA da tradicional de cerimónia de cumprimentos de fim de ano aos membros do Executivo.

O novo chefe de Estado angolano, João Lourenço, completa quinta-feira os 100 dias de liderança, marcados por um discurso de acérrimo combate à corrupção e más práticas, e uma rutura com a máquina de Governo que recebeu de José Eduardo dos Santos.

Angolanos contactados pela Lusa consideram importante a luta contra a corrupção, a palavra de ordem do novo Presidente de Angola, mas colocam à frente o desejo de ver melhoradas as condições de saúde e educação.

Dez mortos, por causas diversas, é o balanço provisório da passagem de ano em Angola, segundo a Polícia angolana, que registou ainda 107 crimes, a detenção de 173 cidadãos e a apreensão de seis armas de fogo.

O Banco Nacional de Angola inicia este ano um “ajustamento controlado da taxa de câmbio” para conseguir uma desvalorização gradual da moeda nacional e eliminar a diferença entre a taxa oficial, de 166,7 kwanzas por dólar, e a do mercado informal, de 400 kwanzas, escreveu o Jornal de Angola.

O gabinete de estudos económicos do Standard Bank considera que o Orçamento de Angola para 2018 comporta "riscos substanciais", nomeadamente se o crescimento económico e as receitas do petróleo ficarem aquém do estimado pelo Governo.

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, manifestou a convicção de que, se as eleições gerais fossem hoje, o resultado a favor do Presidente João Lourenço seria muito mais expressivo e a sua legitimidade sairia ainda mais reforçada.

A passagem de ano na capital angolana, Luanda, volta este domingo a fazer-se entre as habituais festas e roupa a condizer e as vigílias nas igrejas, entre cânticos e orações para agradecer a paz em Angola.