×

Atenção

Erro ao carregar arquivo XML

Espião angolano general Miala premiado pelo Presidente João Lourenço

Destaque na Imprensa Semanal Francesa LA LETTRE DU CONTINENT escreveu na sua capa João Lourenço, premeio o mestre-espião Miala.

Em pleno verão um decreto presidencial ordenou um reforço do orçamento do Serviço de Inteligência Externa de 20 milhões de dólares (18 milhões de Euros). Uma soma destinada a apoiar o desenvolvimento de núcleos operacionais do serviço sob a responsabilidade desde o ano passado do general Fernando Garcia Miala, demitido das mesmas funções em 2016 por José Eduardo dos Santos e repescado pelo novo presidente angolano, João Lourenço.

Dispondo duma vasta rede africana, Miala esteve durante muito tempo implicado nos assuntos congoleses fazendo parte de círculos próximos do antigo presidente congolês da RDC, Joseph Kabila.

Coincidência: João Lourenço acaba de se associar com o seu homólogo da RDC, Félix Tshisekedi, para levar a cabo uma mediação entre Uganda e Ruanda. Na era de José Eduardo dos Santos, o general Miala, era interlocutor do homem de negócios francês, Pierre Falcone, antes de perder para o seu adversário no seio da Presidência, o general Manuel Hélder Dias, "Kopelipa".

Kopelipa, contribuiu para o afastamento de Miala e introduziu outros homens de negócios franceses, em Angola, estando na primeira linha, Vincent Miclet, nota LA LETTRE DU CONTINENT.

Por seu lado, o semanário JEUNE AFRIQUE, destaca também a RDC, um governo ingovernável? Pletórica tendo em conta os recursos orçamentais do país, redundante nos vários postos e largamente inexperiente, a nova equipa dirigente é fruto de um compromisso improvável entre o antigo e o novo Presidente.

Mas é com esta equipa que o Presidente, Tshisekedi, terá de fazer a mudança do pais tão esperada pelos congoleses da RDC, acrescenta a JEUNE AFRIQUE. RFI

Rate this item
(1 Vote)
Last modified on Sábado, 07 Setembro 2019 10:19
.
.
.