Gazeta Uigense - Ministro do Interior preocupado com notícias falsas sobre o país

Ministro do Interior preocupado com notícias falsas sobre o país

O ministro do Interior, Ângelo Veiga, denunciou, ontem, em Luanda, a existência de notícias falsas publicadas pelo correspondente em Angola do jornal português “Expresso”, um problema que, na sua opinião, pode colocar em causa a segurança e a ordem públicas.

Ângelo Veiga, que falava à comunicação social antes do início de uma reunião operativa no Ministério do Interior, acentuou que registou com preocupação “o forjar de trocas de mensagens entre o ministro do Interior e pessoas inexistentes”, assim como alguma comunicação também inexistente, envolvendo o Titular do Poder Executivo.

O ministro do Interior chamou atenção para a necessidade de se respeitar o princípio do contraditório na abordagem de matérias jornalísticas e argumentou que, se o princípio fosse respeitado, o correspondente em Angola do Expresso não teria feito referência a falsas abordagens ao ministro do Interior.

Ângelo Veiga garantiu que as abordagens são inexistentes e sublinhou que se deve estar preparado para lidar com as chamadas “Fake News” (“notícias falsas”),  no sentido de dar-se, a cada momento, a resposta adequada.  Na sua opinião, as falsas notícias que circulam em Angola e noutros países constituem preocupação para vários Estados e podem colocar em causa a ordem e a segurança dos Estados.

O titular da pasta do Interior lembrou que grande parte dos Estados está a tomar medidas legislativas para fazer face às notícias falsas, admitindo que o Estado angolano vai também tomar medidas no devido tempo. 

“Mais do que medidas de natureza legislativa, o importante é que haja uma educação das pessoas para o respeito ao próximo e à diferença", salientou Ângelo Veiga, que pediu aos jornalistas e aos fazedores de opinião que respeitem o princípio do contraditório e confirmem as informações a que têm acesso.  

O ministro do Interior reconheceu a atenção que o Presidente João Lourenço tem prestado aos órgãos de Defesa, Segurança e Ordem Interna e destacou, a título de exemplo, a orientação presidencial dada aos ministérios das Finanças e da Construção para a construção de um novo edifício para o Serviço de Investigação Criminal (SIC).

A nova Estrutura Orgânica do Comando-Geral da Polícia Nacional entra em funcionamento já este mês, devendo permitir uma melhor capacidade de resposta às suas acções e responsabilidades, anunciou o ministro do Interior, que aplaudiu o papel desempenhado pelos efectivos dos órgãos operativos do Ministério do Interior no asseguramento da quadra festiva, apesar de “muitos efectivos terem ficado sem receber os vencimentos”.

“Durante a quadra festiva, muitos cidadãos não acataram os conselhos do Ministério do Interior, o que resultou em óbitos, devido aos acidentes de viação e à criminalidade”, lamentou Ângelo Veiga, que acentuou ter aumentado o número de crimes, sendo que mais de 80 por cento dos delitos terem ocorrido no seio familiar ou de  pessoas conhecidas. As vítimas são maioritariamente jovens, com menos de 17 anos, informou o ministro do Interior, quando disse ter havido um aumento do número de violações, tendo a cifra também aumentado em relação a ofensas corporais causadas pelo consumo excessivo de álcool.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Sábado, 06 Janeiro 2018 11:47
.
.
.