×

Atenção

Erro ao carregar arquivo XML

Gazeta Uigense

Gazeta Uigense

João Lutonadio da Bragança

Jornalista e Redator do Diário regional Gazeta Uigense 

gazetauigense@gmail.com

O Instituto de Gestão de Ativos e Participações do Estado de Angola foi constituído fiel depositário da Companhia Industrial de Benguela (Alassola, antiga África Têxtil), uma das três fábricas arrestadas por ordem da Procuradoria-Geral da República (PGR).

A polícia angolana deteve duas pessoas por crimes de associação criminosa e chantagem nas redes sociais a dirigentes e empresários angolanos, foi hoje anunciado.

Um grupo de jovens angolanos agendaram para sábado, em várias províncias do país, manifestações contra o "elevado nível de desemprego" e "exigir o cumprimento da promessa" do Presidente angolano sobre a criação de 500 mil empregos.

Alguns membros da extinta seita religiosa "Luz do Mundo" inviabilizaram a campanha emergencial de vacinação contra a poliomielite, em curso desde o passado dia dois, na província do Huambo, com a recusa da imunização dos filhos.

Pilotos da transportadora angolana TAAG reclamam da "perda do poder de compra dos salários", mas administração admitiu um "possível consenso" entre as partes. Greve está marcada para o próximo dia 5.

Polícia prende três suspeitos de falsificar dólares na Zona Leste de São Paulo ( Brasil )

A transportadora aérea TAAG deve ao Estado angolano 1,2 bilhão de dólares (1,081 milhões de euros), de aquisição de combustível, equivalente a 80% da dívida da companhia, correspondendo o restante a dívidas a fornecedores, anunciou hoje a administração.

A International Finance Corporation (IFC) ou Corporação Financeira Internacional (CFI), na sua tradução para o português, elogiou as reformas em curso em Angola, desde a entrada em funções do Governo liderado pelo Presidente João Lourenço, em Setembro de 2017.

Os refugiados da República Democrática do Congo (RDCongo) na zona da Lunda Norte decidiram regressar ao seu país, na sua quase totalidade, levando as autoridades de Angola a procurar inteirar-se dos motivos do regresso.

O ministro das Relações Exteriores de Angola disse na segunda-feira que existe no país uma "patologia de impunidade pela corrupção, nepotismo e lavagem de dinheiro" que tem de ser eliminada.

Página 1 de 314