×

Atenção

Erro ao carregar arquivo XML

Polícia Nacional reprime manifestação contra gradualismo geográfico em Luanda

A Polícia de Intervenção Rápida entrou hoje em acção em Luanda para dispersar manifestantes em frente à Assembleia Nacional que exigiam a realização de eleições autárquicas simultaneamente em todos os municípios do país. 

As unidades da PIR foram chamadas por elementos da polícia nacional que tinham exigido que os manifestantes se deslocassem para uma zona mais afastada. Segundo Kambolo Tiaka- Tiaka, coordenador da Plataforma Cazenga em Acção (Placa), disse que a policia “agiu com brutalidade” contra os manifestantes usando gaz lacrimogéneo e “pistolas electricas”.

As organizações Projecto Agir e Plataforma Cazenga em Acção (Placa), sedeados nos municípios de Cacuaco e Cazenga, disseram que irão apelar ao boicote das eleições autárquicas caso um pacote legislativo prevendo eleições autárquicas em todos os municípios, não seja aprovado. Não houve ferido nos ataques contra os manifestantes. Activistas prometem novas acções para que o governo e MPLA recue da ideia do gradualismo geográfico que João Lourenço já garantiu não alterar.

O governo tem defendido o principio do “gradualismo” afirmando que não há condições para autarquias funcionarem em todo o país

“Uma coisa eu garanto se não tiverem em conta as nossas reclamações nós Projecto Agir e Plataforma Cazenga em Acção (Placa), vamos boicotar as autarquias”,disse. VOA

Rate this item
(0 votes)
.
.
.