Gazeta Uigense - Médicos pedem diginidade e respeito no Uíge

Médicos pedem diginidade e respeito no Uíge

Mais de três dezenas de pessoas entre médicos, enfermeiros e alunos da Escola Técnica de Saúde no Uíge marcharam no sábado, 16, nas ruas da cidade capital da província angolana pelo respeito, dignidade, melhoria das condições técnicas de trabalho e contra o desemprego.

Lando Nzuzi, coordenador da marcha e líder do Sindicato dos Médicos no Uíge, disse que os profissionais se sentiam particularmente injuriados pelas declarações da ministra da Saúde sobre a capacidade deles ao terem reprovado na prova de admissão dos hospitais do Estado.

“Queremos resgatar a dignidade dos médicos angolanos contra as palavras de desacreditação pela ministra da saúde, queremos mais respeito, mais dignidade, mais condições de trabalho e queremos mais emprego para médicos”, disse.

“São mais de dois mil médicos desempregados a nível do país, enfermeiros e técnicos terapeutas e outros”, acrescentou o responsável pela ordem dos médicos no Uíge.

O Hospital Geral do Uíge tem 33 médicos dos quais 15 médicos angolanos e 18 expatriados, entre eles cubanos, coreanos e russos.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Segunda, 18 Fevereiro 2019 20:28
.
.
.