×

Atenção

Erro ao carregar arquivo XML

As operações cambiais privadas passam a ser feitas, a partir do próximo mês de Janeiro, sem necessidade de apresentação de qualquer documentação, como acontece actualmente, anunciou o Banco Nacional de Angola (BNA), num aviso divulgado na sua página oficial na Internet.

O ministro da Economia e Planeamento angolano considerou hoje "uma década perdida" o período entre 2007 e 2017, com "momentos considerados de bonança do petróleo", mas que não foram capazes de assegurar o nível e eficácia das receitas.

O analista do Bank of America ML que segue Angola considerou hoje que a depreciação do kwanza está em linha com as recomendações do Fundo Monetário Internacional e sustenta os ajustamentos macroeconómicos em curso no país.

A consultora Economist Intelligence Unit (EIU) considerou hoje que a previsão de recessão em Angola este ano mostra "as dificuldades que a economia enfrenta", e que a estimativa de crescimento de 1,8% para 2020 "é irrealista".

As actividades de cinco superfícies comerciais, entre intermédios e de grande dimensão, foram temporariamente suspensas, neste sábado, no Huambo, pela Inspecção-Geral do Comércio, por estarem a especular os preços da cesta básica, depois da entrada em vigor do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), no passado dia 01.

A moeda angolana voltou hoje a desvalorizar e transacionava hoje em 455,21 kwanzas face ao dólar, um dia depois do anúncio da liberalização da taxa de câmbio, segundo os dados oficiais divulgados pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

Banco Central ajustou de 17% para 22% o coeficiente de reservas obrigatórias para moeda nacional. Ou seja, ao mesmo tempo que liberaliza a taxa de câmbio, o BNA entende que há excesso de Kwanzas no mercado.

O Banco Nacional de Angola deixou de impor o limite de uma variação máxima de 2% nos leilões de divisas que realiza diariamente, permitindo assim que a moeda nacional oscilasse livremente, segundo o regulador financeiro.

Página 1 de 87